1. Cultura

Momentos inesquecíveis

21 de julho de 2017 - 1:45:57

Momentos inesquecíveis:
Mais de quatro décadas atrás, encontrei no porão da Dona Emma de Mascheville, em Porto Alegre, junto com os originais do seu livro de astrologia que depois vim a publicar, das suas “Memórias” que continuam inéditas e outros inumeráveis documentos interessantíssimos — entre os quais uma longa interpretação do horóscopo do Mário Ferreira dos Santos, lido quando este tinha ainda uns trinta e poucos anos –, os manuscritos de fundação da seção local da Ordem Martinista. Redigido na bela caligrafia do Grão-Mestre, o então já longamente falecido Albert de Mascheville, o cartapácio expunha todos os ritos de constituição da Loja e de iniciação dos seus membros. Hoje me ocorre a obviedade de que, de posse de tão singular documento, qualquer picareta haveria, no meu lugar, fundado novas Lojas, passado as iniciações a centenas de bobocas e enchido o cu de dinheiro. Talvez por mera falta de imaginação, limitei-me a estudar o manuscrito e servir-me dele como modelo comparativo para me ajudar a entender os ensinamentos de René Guénon em “Aperçus sur l’Initiation”. Decorrido todo esse tempo, já não sei onde foi parar o fabuloso documento, do qual, autorizado por Dona Emma, conservei apenas uma cópia xerox, que também acabou sumindo.

 

Sem coitadismo: Já faz um ano que não tenho acesso à minha biblioteca, e os sádicos continuam me pedindo “as fontes, as fontes” de tudo o que cito de memória. Seria injusto, nesses casos, responder que fonte, segundo o Dr. Paulo Ghiraldelli, é o cu da mãe?