1. Religião

Disputas teológicas

11 de julho de 2017 - 5:08:37

O maior pecado de soberba que conheço é o sujeito achar que, pelo simples fato de ser ignorante, já se tornou o “pequenino” de que fala a Bíblia, ao qual Jesus revela o que oculta aos doutores. E não são poucos os que o cometem. No Brasil, o fenômeno da IGNORÂNCIA REVELADA é endêmico.

Quando encontrar um sujeito desses, peça-lhe para contar um pouquinho do que Jesus lhe revelou.

Uma vez botamos um desses “pequeninos” na Presidência da República. E deu no que deu. Maior que o Mensalão, maior que o Petrolão, é o PIROCÃO que assola toda a população do país.

Palavras de louvor são sempre bem-vindas, mas Deus, com certeza, de bom grado trocaria todas pela esmola dada a um pobre, pelo socorro estendido a um doente ou pelo afago consolador oferecido a uma criança que chora.

Disputas teológicas constituem-se de almas boníssimas dedicadas, de todo o coração, a matar e morrer pela veracidade ou falsidade de proposições que elas não sabem exatamente o que querem dizer.

No Cristianismo, ao contrário, quando Deus nos promete a vida eterna, Ele está dizendo: — Aqueles que Eu criei e que são Meus Eu não vou destruir NUNCA MAIS.

Uma observação que ainda devo explicar mais detalhadamente em aula: pelo menos na sua versão guénoniana, a doutrina hindu de um Supra-Ser Absoluto e Onipotente em face do qual toda realidade manifestada é ilusória e destinada a desaparecer como tal para reabsorver-se n’Ele é autocontraditória em grau máximo, pois que raio de Absoluto Onipotente é esse que nada mais pode fazer senão produzir ilusões, isto é, enganar-se a si mesmo?

*

https://25anos.padrepauloricardo.org/