1. Religião

 Moral sexual

8 de julho de 2017 - 0:01:24

A pergunta “Se uma garota não é piriguete, por que se veste como se fosse?” só tem uma resposta possível: Não sei e você também não sabe, mas sei e você deveria saber que tentar adivinhar piriguetice onde ela talvez não exista é pior do que ser uma piriguete.

Em noventa e nove por cento dos casos, pela minha experiência, ensinar moral sexual só serve para alimentar o espírito de bisbilhotice e a soberba da virtude. Se você ainda não aprendeu a prática do perdão e o controle do olhar, é melhor nada saber de moral sexual.

Querer alcançar a pureza sexual antes de ter aprendido a amar o próximo é reduzir o cristianismo a um regulamento de saúde pública.

Há pessoas tão puras, no seu próprio entender, que não se conformam com a idéia de que o perdão divino elimine o pecado do campo da realidade eterna. Querem porque querem que sempre sobre alguma coisinha. Nem de longe percebem que isso contradiz na base a noção mesma da bem-aventurança eterna.

Espero, como complemento destas considerações, não ter de explicar a diferença entre a esfera da moral pessoal ou íntima e a da responsabilidade civil e penal, OK? Mi pôlpem.

*

Thomas Dresch Isso está correto. No entanto, o exercício de reconfessar os pecados a partir de uma consciência mais ampla é benéfico, porque alcançamos partes apodrecidas que antes não tínhamos noção.

Olavo de Carvalho Com certeza: enquanto estamos nesta vida, os nossos pecados, mesmo perdoados, permanecem na nossa consciência. É na eternidade que eles são abolidos.