1. Religião

Sobre Deus, Jesus e a Bíblia

27 de abril de 2017 - 0:32:12

Existe um Gerador de Lero-Lero Cristão. Dele vem a maior parte das proclamações hiperbólicas da grandeza e bondade de Deus, sobretudo aquelas enunciadas no tom solene de quem admoesta os pecadores. Moisés, no alto do Sinai, foi advertido quanto ao futuro advento desse fabuloso utensílio.

*

Quando Jesus diz “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão”, Ele está se referindo a TUDO o que Ele diz, não só àquilo que foi registrado na Bíblia.

*

Quando alguém promulga uma doutrina absurda, o passo seguinte é rodeá-la de distinções, atenuações e desconversas sem fim.

*

O petismo é o defunto mais histérico que já vi.

*

Como poderia Deus “fazer novas todas as coisas” se fosse escravo da Sua própria memória?

*

Neste vídeo só há um erro: o meu livro não vendeu 120 mil exemplares. Vendeu 320 mil:

*

Predestinacionismo é incompreensão total de que Onipotência é Liberdade.

*

Deus não muda o passado mas, quando quer, o anula como se jamais tivesse acontecido.

*

Se Deus pode APAGAR os nossos pecados, tem o poder de DESCONHECÊ-LOS. Só não o teria se a Onisciência fosse antagônica com a liberdade — o que é precisamente o vício estrutural de todo predestinacionismo.

*

Se pode existir alguma boa obra sem Deus, obviamente existe algum bem fora de Deus.
Quando a Bíblia diz que as boas obras não salvam se nelas não estiver Deus, quer dizer apenas que não eram realmente boas.
Quem não sabe distinguir entre uma hipérbole e uma afirmação categórica não deveria discutir esses assuntos.

*

Se Deus já predestinou alguns à danação, mas quer que todos se salvem, Ele deve estar um tanto confuso.

*

O sacrifício ter sido feito “desde toda a Eternidade” significa que a oferta da salvação esteve SEMPRE presente, mas só no Calvário se manifestou aos olhos de todos.

O predestinacionismo implica NECESSARIAMENTE o mecanicismo.

É, no fim das contas, puro raciocínio mecânico.

*

O sacrifício ter sido feito desde toda a Eternidade não significa predestinação. Significa que a oferta da salvação é infinita, portanto ilimitada.

*

Longe de implicar a predestinação, a Onisciência divina implica a liberdade, a criatividade infinita e a indeterminação. Deus não é um relógio nem um programa de computador.

*

Se Deus é livre e soberano, sua Onisciência tem a liberdade de escolher entre prever e não prever.

*

Protestantismo é confusão mental. Não espanta que Lutero odiasse a filosofia, porque não conseguia aprendê-la.

*

Se estavam todos predestinados, o sacrifício do Calvário não acrescentou NADA.

*

Para quê sofrer e morrer na Cruz só para fazer o que já estava feito? Isso é tão absurdo que até uma criança tem a obrigação de percebê-lo.

*

Se estamos predestinados, Deus NÃO oferece a salvação a todos, mas só àqueles que já a possuem.

*

Jesus Cristo é o Logos, a Inteligência divina. Se todos já estavam predestinados, Ele já conhecia a sentença de um por um e tentar salvá-los na Cruz foi um ato inútil, desesperado, autocontraditório.

*

A doutrina da predestinação já é, antecipadamente, o mecanicismo filosófico.

*

Aqueles que alegam a onisciência de Deus como prova da predestinação só conseguem imaginar a inteligência divina como conhecimento da necessidade, não como conhecimento da liberdade, infinitude e criatividade ilimitada.

*

Eternidade é infinitude, e a infinitude é incompatível com a predestinação,

*

Seres predestinados, até um programador de computadores pode criar. Mas, para criar seres imprevisíveis, capazes de iniciar por si mesmos novos processos causais em ver de ser simples elos de uma cadeia causal anterior, bem, para isso é preciso um DEUS. A liberdade humana é expressão da própria liberdade divina que, em modo parcial e relativo, se prolonga em nós.

*

Isso não é teologia. É análise lógica, que Lutero era incapaz de fazer.

*

 

  • fausto atilio

    É impressionante, a capacidade que o Professor tem, de nos fazer pensar.

  • Henrique

    Glória a Deus! Que o MSM está de volta!

  • Gustavo Brandão

    Quando o Olavo se presta a falar de protestantismo, quase sempre erra. Acusar Lutero de uma tese de Calvino é erro pueril. A predestinação é teoria calvinista, não luterana.